Novidades para a moda festa brasileira

Com o poder de compra em alta, a mulher brasileira passou a consumir a moda festa com maior frequência e variedade. Em função disso, toda a oferta precisou ser ajustada, tanto em quantidade quanto nas ocasiões em que são usadas as roupas de festa, hoje, muito mais amplas e flexíveis. Entre a roupa da balada e o vestido do casamento, houve uma significativa expansão da gama de ocasiões exigindo looks diferentes. Além disso, o segmento no Brasil cresceu de forma expressiva, trazendo novos nomes para a primeira linha da moda festa.

Comprimentos

Em termo de comprimento, observamos o que foi desfilado na moda internacional. Aí vai uma seleção daqueles com boas chances de atender a moda festa voltada para a balada, aqui no Brasil. Estes looks vão do curtinho da Lanvin, imbatível na modelagem reta em tecido acetinado, ao mídi colado ao corpo, apresentado no desfile de alta costura da Dior. Entre eles, está o da Chanel, um tomara que caia em material brilhante, acompanhado por acessórios exagerados. Observe que a sandália une o brilho (necessário para enfrentar uma pista agitada) com um desenho voltado para o conforto.

Curtos e justos

É preciso considerar que os curtos e justos são uma preferência nacional. Neste caso, dependendo dos acessórios, da bolsa e do calçado, eles vão da balada à festa formal. Veja como o scarpin e a tiracolo pequena e dourada definem o look usado por Isabela Fiorentino. O vestido Vera Wang de renda, um tubinho preto, aparece nesta imagem acompanhado por sapatilhas. Não é difícil imaginar como ele pareceria outro se a garota calçasse um modelo de salto e investisse em pulseiras e brincos. O da direita é um clássico da versatilidade à brasileira. Ganharia mais formalidade com um scarpin de bico fino e renderia ainda outra impressão se combinado com plataformas pesadas em material metalizado.

Curtos de cintura marcada

Se a ocasião é um momento elegante, e ainda assim a ideia é não dispensar o comprimento curto, o truque é valorizar o colo com belos decotes, marcar a cintura e aliviar a carga de sensualidade com um pouco mais de abertura nas saias.

Outras silhuetas

Estas variações de silhueta são mesmo poderosas para a adequação do modelo curto a ocasiões diferentes. Estes dois modelos também curtos controlam a ousadia dos comprimentos diminutos. O primeiro em função do desenho solto da silhueta em A. O segundo ganha um toque de discrição por não marcar a cintura e evitar decotes pronunciados. Observando alguns deste recursos, isolados ou combinados, a brasileira pode usar o curto em ocasiões formais sem aparentar que se vestiu para uma balada.

Comprimentos comportados

À medida que os comprimentos baixam, o foco de atenção desloca-se das pernas para a região dos ombros e colo. Entram em cena os decotes bem desenhados, e é a silhueta, valorizada pelos desenhos e materiais, que se sobressai no conjunto.

Para fazer uma passagem entre comprimentos curtos e médios e chegar aos longos, passamos antes pela moda festa definida por opções ousadas, do tipo que tem o poder de sensibilizar boa parte da clientela brasileira. Confira estes três looks de estilos diferentes e com capacidade de agradar públicos variados.


Para fazer uma passagem entre comprimentos curtos e médios e chegar aos longos, passamos antes pela moda festa definida por opções ousadas, do tipo que tem o poder de sensibilizar boa parte da clientela brasileira. Confira estes três looks de estilos diferentes e com capacidade de agradar públicos variados.

Moda festa no Brasil

Patricia Bonaldi

Dos novos nomes brasileiros, a estilista mineira Patricia Bonaldi é o mais comentado na área. Vale observar que ela adota o comprimento curto tanto na coleção para este verão quanto para o próximo inverno. Luxuosos, esses modelos sustentam uma demanda por sofisticação com a mesma elegância dos longos. Em sua última coleção, a estilista aposta que a brasileira vai adotar um estilo rico em pedrarias e bordados, mas de shapes controlados. Transparências e rendas também estão entre suas escolhas. Saias grandes, tops preciosos e ajustados definem a silhueta. As cores incluem o nude, o verde-esmeralda e tons quentes avermelhados.

O que movimenta a moda festa no Brasil é que o setor cresceu consideravelmente nos últimos anos. Os números não mentem: no ano de 2010, eventos e festas movimentaram mais de R$30 bilhões. O número cresceu de lá para cá, e só os casamentos das classes A e B hoje representam um investimento anual médio em torno R$100 milhões. Outras festas sociais também ajudam a aquecer o mercado. Bodas, formaturas e bailes de debutantes são eventos cada vez mais grandiosos e presentes no cotidiano do brasileiro. Vale voltar as atenções para esse mercado e pensar no potencial do setor.



Escolha o tecido certo para a sua festa! 
Qual o seu favorito?  

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram